9 de ago de 2010

DIÁLOGO DE "A" A "Z"

15/10/01

-Água Pai, estou com sede
-Bebes meu filho na fonte adiante
-Conta-me Pai como a achaste
-Digo-lhe filho outra hora
-Esconde-me Pai, a verdade, por que?
-Finjo esconder de tí, mas não o posso
-Gracejas agora meu pai de teu filho?
-Hoje sim, mas amnhã, quem sabe...
-Irás o senhor negar-me também o amanhã?
-Juro-te, nada disso farei.
-Lamento se te desaponto, isso não queria.
-Música para meus ouvidos são suas palvras
-Nega-me no entanto ainda a verdade
-Onde a deixei? Pode-me tu dizer?
-Pai! Olha-me e tenha piedade
-Queres tu, muito por pouco
-Rides meu pai, sou mesmo um louco
-Santo és tú, louco sou eu
-Talvez! Pois nada mais o sei
-Uni-vos a mim então e te revelarei
-Vejo que queres tudo de mim!?
-Xiii, cala-te e entrega-se
-Zarpemos então pai, pois a fonte secou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário