9 de ago de 2010

EPILEPSIA

27/09/01

Quando a noite falta-me ar
e acordo suado, assustado com os olhos esbugalhados
vejo dançar a minha frente
a serpente luciferiana da morte agonizante
e a luz que some de repente
congestiona minha mente, que alarma-se
pensando estar próximo o fim
Os espasmos aliviam-se e o ar volta a encher-me os pulmões,
Qued-me então calado no meu leito
que não passa dum colchão no chão
e relembro o quão perto estive dela
o quão bela era sua dança
e o quanto temi de dançar com ela...

Nenhum comentário:

Postar um comentário