25 de ago de 2010

FRAGMENTOS DO TEMPO

20/01/02

Muitos comparam o tempo com um livro
ao qual viramos uma página a cada dia,
nada mais irreal, absurdo difícil de aceitar,
pois cabe ao tempo pro homem se acabar
e nunca mais, o que foi hoje, amanhã será.
Enquanto que um livro lê-se hoje o amanhã
e amanhã, o hoje pode ser relido...
... Exige a arte tanto do fiel, como do criador
o máximo que a vida nos permite,
sonhos, dedicação, observação e equilíbrio
é um livro muito delicado e comprido
e que agora ajudamos a ser composto;
mas não serão seus capítulos relidos
pois passou-se o tempo, e o tempo esvaído
não há de ser reconquistado, como se
fossem as simples páginas de um mísero livro
e sim acabar-se-á com a morte do herói,
ou a derrota do perverso inimigo!
São nossas nefastas vidas, exóticos livros
apócrifos, proscritos, pervertidos e ilusórios,
são fragmentos do tempo, que passa incisivo,
derrubando muralhas, alagando desertos
fazendo ecoar sua fúria nos mais
longínquos infernos,
e ele nunca recua, e com seu avanço
avança a nossa ruína,
é nosso corpo apodrecendo numa esquina
e nossa alma num leilão sendo vendida,
O preço?
Dê o que resta na sua bolsa,
suas canetas, seus cadernos e seus livros
uma boa história, ou uma estrondosa mentira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário