9 de ago de 2010

PASSAGEIRO

14/01/02

Quão desagradável tornou-se o mundo!
E não mais o glorifico nem o lamento
muito tempo levei tentando entendê-lo
mas vê-se que foi em vão o meu tempo

Causa-me medo agora suas voltas
que giram, e giram no mesmo lugar
quem me dera a honra de poder pará-lo
e descansar tranquilo ao invés de rodar

Fez-me ele uma criatura ridícula
uma máquina sobre pernas incapaz de libertar-se
um escravo dos desejos, um amante da sorte

Que durante o dia caminha com o desprezo
a tarde, bebe com a saudade
e a noite deita-se com a Morte!

2 comentários:

  1. ...de passagem para prestigiar o blog do amigo, com a promessa de voltar outras vezes. No momento estou encantada com Contemplação. Beijo

    ResponderExcluir