9 de ago de 2010

QUO VADIS?

20/11/01

Exalando um odor fétido de enxofre e danação
Baila a minha frente esse ser fisforme prepotente
que aos homens guia as rédeas soltas
já que a vida além de dura, para prazer é pouca

Para muitos sorri como um perfeito cavalheiro
para outros acena como prostituta
outros não recebem sorrisos ou acenos convidativos
mais sim apaixonado beijo ritualístico

Carrega contigo os anos que rastejam sem sentido
os doces anos da minha juventude sonhadora
que caminha a passos lentos e arrastados ao desconhecido

Como um câncer corrói o meu ego pervertido
arrebata-me com uma febre abrasadora
acaba-se - fim da linha - volto a letargia do tempo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário