9 de ago de 2010

SABAOTH? (Glória?)

10/09/01

Olhos esbugalhados mirando o vazio
corpo inerte esparramado na sargeta
cabeça estourada repousando no meio-fio
restos dispensáveis de uma vida abjeta

Transeuntes o cobrem com um velho jornal
cães e ratos farejam seu sangue coagulado
alguns esnobes cospem, nesses restos indesejados
enquanto outros benzem-se, para espantar o mal.

nada se fez eterno, neste mundo miserável
nem o céu e as estrelas, os rios e os mares
por que sofre então o homem, que busca incansável

Por sonhos de riquezas, glórias seculares,
Se tudo que nos resta, são cal e cova,
e numa esquina qualquer ter estourada a cabeça?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário