9 de ago de 2010

SHEOL!... (Inferno!...)

13/09/01

O grito estrangulado dos enforcados
os pés girando no vazio
marcando o compasso num ritmo macabro
seu sorriso arroxeado, sua lingua de fora
um adeus que sempre demora
uma fragmentação da vida que desfaz-se
num simples esticar de cordas e nada mais
a escada, o carrasco, o cadafalso
um tango, uma valsa, um xaxado
nada de passos complicados nesta passagem
nada de aplausos ao fim do ato
somente a corda a se apertar no pescoço
e os pés flutuando no espaço, solto
encontrando na morte, não um fim trágico
e sim um espetáculo, cai o pano...

Nenhum comentário:

Postar um comentário