30 de nov de 2010

09/04/2002 - LIBERTAD

Zeus caricato que te arrogas o direito,
de dispor dos destinos alheios?
Sabendo-se que só anseia a Luz
aquele que contorce-se em trevas

Lança teus raios, majestoso Deus,
mas reservai a nós escravos seus,
o direito a seguir nossos destinos
sem se indispor com os desígnios celestes

Abre-te como abre-se o Céu para o Sol
e deixa-nos palmilhar nossos caminhos
deite-se sobre as nuvens que empapussam os Céus

Mas lembre-se, que nem todos somos normais
a uns é vedada a Luz, a outros cega-os seus raios
mas eu ignoro tua vontade, e faça-me cair
no livre arbítrio para ti arbitrário

Nenhum comentário:

Postar um comentário