9 de ago de 2010

PLEROMA (Plenitude)

07/09/01

Voam alto nossos egos
já as mentes adentram o universo,
almas fundem-se no eterno
enquanto nossos corpos alimentam vermes

É difícil manter a mente alerta
acostumada como está a nada fazer
já a alma que não descansa nem se acaba
permanece prisioneira por vidas afora.

Se acaso rastejasse sob seus pés, o teu ego
e tua mente lhe reverenciasse,
seria teu coração puro o suficiente

Para deixar-se comover-se, unindo-os num todo
e resgatando sua alma do lodo
transformando-se num ser auto-controlado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário